83 3044 1000

João Pessoa

Olá, como você se chama?

O sócio pode ser pessoalmente responsabilizado por dívidas tributárias da empresa?

Por Fabiana Carneiro (Advogada Associada – NTA)

A legislação permite que em algumas hipóteses, o patrimônio pessoal do sócio sofra restrições em razão de dívidas tributárias decorrentes da atividade empresarial. 

Inicialmente, deve-se esclarecer que a falta de pagamento de alguma obrigação tributária, não gera, por si só, responsabilização do sócio, para isso é preciso a ocorrência de um ato ilícito.

 Nesse contexto, a dissolução irregular da empresa é considerada como ato ilícito. Uma empresa é encerrada irregularmente, por exemplo, quando deixa de funcionar sem fazer a extinção formal da pessoa jurídica. 

Outra situação ocorre nos casos em que a empresa devedora muda de endereço sem comunicar à Receita Federal, a dissolução irregular é presumida e, assim, independe de qualquer outra prova. 

Assim, como os sócios da empresa podem ser modificados ao longo do tempo, questionou-se na Justiça qual sócio responderia pelas dívidas fiscais nos casos de dissolução irregular. 

Em resposta, a 1ª seção do Superior Tribunal de Justiça, em 24/11/2021, decidiu que quem deve ser responsabilizado pelas dívidas é aquele que gerenciava a empresa na época do encerramento das atividades em desacordo com a lei. O colegiado afastou a responsabilidade do sócio que gerenciava a empresa no momento do fato gerador dos tributos e se retirou regularmente antes do fechamento.

Sendo assim, é imprescindível atentar-se as hipóteses de atribuição de responsabilidade pessoal dos sócios. O aconselhamento por especialistas em direito tributário pode minimizar os riscos inerentes a atividade empresarial.

Posts Relacionados

Publicações

Como impugnar um edital de concurso público?

2 Agosto 2022

Por Nayane Ramalho (Advogada Associada)

Publicações

Responsabilização de empresas que praticam atos lesivos à administração pública

28 Julho2022

Por Rejane Carvalho (Advogada Associada)

Publicações

Quais benefícios previdenciários não podem ser acumulados?

25 Julho2022

Por Tayenne Costa (Advogada Associada)

Publicações

Como fica a partilha de imóvel construído pelo casal em terreno de terceiros?

20 Julho2022

Por Isabela Ferreira (Advogada Associada)

Publicações

Impenhorabilidade de bens de hospitais filantrópicos

18 Julho2022

Por Lucas Brito (Advogado Associado)