83 3044 1000

João Pessoa

Olá, como você se chama?

Qual a diferença entre inventário judicial e extrajudicial?

Por Antônio Neto (Advogado Associado)

O inventário é um importante processo dentro do Direito de Família, no qual, pode ser realizado através de uma demanda judicial ou extrajudicial, com a finalidade de transferir a herança deixada pelo falecido para os seus herdeiros legítimos.

Apesar de versarem sobre a mesmo procedimento de transferência da herança para os herdeiros, existem diferenças pontuais entre o inventário judicial e extrajudicial, que facilitará em sua escolha.

O inventário extrajudicial é o instrumento realizado no cartório, cujo processo é mais rápido e tem menor custo, se comparado ao processo judicial. No entanto, esta modalidade deve ter o consenso entre todos os herdeiros e não pode haver menores ou absolutamente incapazes.

Dessa forma, acaso exista algum dos impedimentos acima relacionado, o inventário deverá ser aberto na forma judicial, no qual, ocorrerá por meio de um processo judicial e demandará um maior lapso temporal, haja vista que na sua grande maioria existe uma disputa entre os herdeiros pelo patrimônio ou existe a intervenção do Ministério Público em defesa dos direitos dos menores ou absolutamente incapazes.

Destaco, que em ambas as modalidades, será necessário o auxílio e acompanhamento de um advogado da sua confiança, no qual, deverá ser avaliada as diversas peculiaridades, além do estudo do caso concreto.

Posts Relacionados

Publicações

Devolução ao Estado dos valores recebidos pelo servidor público

14 Junho 2021

Por Allana Lopes (Advogada Associada)

Publicações

Trabalho infantil é crime

12 Junho 2021

Ligue 123 e denuncie.

Publicações

Revisão da Vida Toda em pauta no STF

10 Junho 2021

Por Henrique Brito (Advogado Associado)

Publicações

STF decidiu que menor sob guarda faz parte do rol de dependentes previdenciários

8 Junho 2021

Por Thiago Baracuhy (Advogado Associado)

Publicações

Lei garante acompanhante em tratamento de autistas com covid-19 na Paraíba

7 Junho 2021

Por Larissa Raulino (Advogada Associada)