83 3044 1000

João Pessoa

Olá, como você se chama?

Quando o falecido tem duas companheiras, qual delas tem direito a pensão por morte?

Por Antônio Neto (Advogado Associado)

Quem já ouviu falar que algum conhecido morreu e quando a viúva foi requerer o benefício de pensão por morte descobriu que o falecido tinha uma outra família? Pois é, essa situação é muito comum. E surge sempre a mesma pergunta: que tem direito a pensão por morte?

Ciente desta problemática foi que na última segunda-feira (14), o Supremo Tribunal Federal (STF) julgou o Tema 529, entendendo como não sendo possível para fins previdenciários o reconhecimento da legalidade da segunda união estável, quando o falecido possuir duas famílias ao mesmo tempo, seja ela heteroafetiva ou homoafetiva. Ou seja, a segunda companheira não terá direito ao benefício de pensão por morte.

Para o STF, a Constituição Federal exige que para o reconhecimento da união entre um casal, além do interesse em constituir uma família, deve existir o respeito ao princípio de exclusividade/monogamia, o que não existe no caso da segunda união estável, pois um ou ambos os membros do relacionamento estão impedidos de casar novamente, portanto ferindo frontalmente o princípio da monogamia que rege as relações familiares.

Assim, é possível que nos casos em que se pretenda a concessão ou revisão da pensão por morte, não seja necessário dividir o benefício com a segunda companheira (o) do falecido (a), hipótese que o requerente do benefício deverá consultar um advogado de sua confiança.

Posts Relacionados

Publicações

Aposentadoria especial dos agentes comunitários de saúde

22 Janeiro 2021

Por José Fernandes (Advogado Coordenador)

Publicações

MP prorroga regras de cancelamento de voos durante a pandemia

20 Janeiro 2021

Por Marília Dias (Advogada Associada)

Publicações

Você sabia que os alguns critérios de aposentadorias mudaram?

19 Janeiro 2021

Por Edivanildo Nunes (Advogado Associado)

Publicações

Minha carteira de habilitação venceu. Renovo agora ou depois da vigência do novo CTB, em abril?

15 Janeiro 2021

Por Jackson Lucena (Advogada Coordenador)

Publicações

Os contratos digitais têm validade jurídica?

13 Janeiro 2021

Por Camila Fazollo (Advogada Associada)